Ressonâncias da Alegoria Benjaminiana no Pensamento de Boaventura: a realidade não pode ser reduzida ao que existe

Autores

  • Dilson Miklos

Palavras-chave:

História, Experiência, Epistemologia, Progresso

Resumo

O artigo apresenta as ressonâncias do pensamento do filósofo alemão Walter Benjamin na obra do sociólogo português Boaventura de Souza Santos, tal aproximação ressalta uma filiação que lança luzes sobre os escombros soterrados e as vozes silenciadas pelo projeto moderno pautado na ideia de progresso. Libertar a História do seu universalismo e propor uma nova abordagem para o tempo e o espaço está no cerne da construção textual. 

Referências

AGOSTINHO, Santo. Conissões. Tradução de Santos Pina. Petrópolis: Vozes, 2001

BENJAMIN, Walter. A origem do drama barroco alemão. Trad. S. P. Rouanet. São Paulo: Editora Brasiliense, 1984.

_______.Obras Escolhidas. Trad. S.P. Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1994, v.1.

_______. Passagens. Sao Paulo: Editora UFMG, 2006.

SANTOS, Boaventura de Souza. Renovar a Teoria Crítica e Reinventar a Emancipação Social. São Paulo: Boitempo, 2007.

________, Boaventura de Souza. A Gramática do Tempo: para uma nova cultura política. São Paulo: Cortez, 2010.

D’ANGELO, Martha. Arte, política e educação em Walter Benjamin. São Paulo: Edições Loyola, 2006.

EAGLETON, Terry. A Ideologia da Estética. Rio de Janeiro: Editora Jorge Zahar, 1993.

KUMAR, Krishan. Da Sociedade Pós-Industrial à Pós-Moderna. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1997.

LOWY, Michel. Romantismo e Messianismo: ensaios sobre Lukács e Benjamin. São Paulo: Perspectiva, 1990.

_______. Walter Benjamin: aviso de incêndio: uma leitura da teses. São Paulo: Boitempo, 2005.

MURICY, Kátia. Alegorias da dialética: imagem e pensamento em Walter Benjamin. Rio de Janeiro: Relume Dumara, 1998.

Downloads

Publicado

26-07-2021

Edição

Seção

Anteriores